segunda-feira, 31 de maio de 2010

Max Weber - Breve Bibliografia

Maximilliam Carl Emil WeberMax Weber foi um sociólogo, filósofo e economista alemão, que nasceu em 21 de abril de 1864 em Erfurt – capital do Estado da Turíngia, e morreu em 14 de junho de 1920 na cidade de Munique – capital do Estado da Baviera.
Filho de industriais, ligados a indústria têxtil, com o pai advogado, tinha no seio familiar espaço para estudo e crescimento intelectual, não é à toa que da casa dos Webers não saiu apenas um sociólogo, mas sim dois, o irmão de Max Weber, Alfred Weber também se tornou um sociólogo respeitado na Alemanha. Ainda era pequeno quando se mudaram para Berlim. No ano de 1882 ingressou na Faculdade de Direito de Heidelberg. No ano seguinte transferiu-se para Estrasburgo, onde prestou o serviço militar.
Em 1884 retorna aos estudos universitários, em Göttingen e Berlim, dedicando-se a quatro áreas: economia, história, filosofia e direito, que vão se tornar basilares para seu pensamento. Foi convidado a se tornar livre-docente na Universidade de Berlim. Cinco anos depois, escreveu sua tese de doutoramento sobre a história das companhias de comércio durante a Idade Média, com a tese Sobre as Sociedades Mercantis da Idade Média. A seguir escreveu a tese A história agrária romana em seu significado para o direito público e privado. Casou-se, em 1893, com Marianne Schnitger, feminista e escritora talentosa. No ano seguinte, tornou-se professor de economia na Universidade de Freiburg, transferindo-se, em 1896, para Universidade de Heidelberg.
Depois disso, em 1897 teve um colapso nervoso que o levou a abandonar o trabalho. Volta vagarosamente às atividades em 1902, mas é propriamente em 1903, participando da direção de uma das mais destacadas publicações de Ciências Sociais da Alemanha, denominada Archiv für Sozialwissenschaft und Sozialpolitik (Arquivo de Ciência Social e Política Social) que retoma ao trabalho com afinco. No ano seguinte viaja aos Estados Unidos, onde leciona várias aulas, se tornando muito influente no referido país. Publica diversos ensaios sobre a objetividade nas Ciências Sociais e a primeira parte de sua obra mais famosa, A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo, que se tornaria subsídio capital para a reflexão sociológica.
No início da Primeira Guerra Mundial, Weber, ocupa o posto de capitão,
sendo encarregado de administrar nove hospitais em Heidelberg. Acompanhou com tristeza a queda moral e o desfecho para o povo alemão.
Quando a guerra terminou, muda-se, estabelecendo morada em Viena, onde ministra o curso Uma Crítica Positiva da Concepção Materialista da História. Em 1919, pronunciou conferências em Munique, publicadas posteriormente sob o título de História Econômica Geral. No ano de 1920 falece em consequência de uma pneumonia aguda aos olhares de sua esposa Marianne.
Weber é sem dúvida um dos maiores baluartes da Sociologia, suas teorias sobre a história comparativa, o surgimento do capitalismo, da burocracia, suas considerações sobre a ética das religiões, bem como suas discussões acerca da metodologia são de extrema relevância para compreensão sociológica.
Dentre suas obras vale o destaque para Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo, Ciência e Política – Duas Vocações, Economia e Sociedade e A Metodologia das Ciências Sociais.



Referências:

Reale. G. História da filosofia, 6: de Nietzsche a Escola de Frankfurt. G. Reale, D. Antiseri: [tradução Ivo Storniolo]. - São Paulo: Paulus, 2006. - (Coleção história da filosofia: 6)

Sociólogo Alemão: Max Weber. http://educacao.uol.com.br/biografias/ult1789u508.jhtm. Acesso em: 31/05/2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário